O Objetivo deste blog, é apresentar ideias e experiências para facilitar o trabalho dos professores no dia a dia, na vivência com nossos bens mais preciosos que são as crianças. Bem Vindos (a) !!!!!

terça-feira, 22 de abril de 2014

Manual da Berçarista





   
Berçário I
Bebês de 0 a 11 meses


Organização: Aninha Macário
www.vivaomaternal.com


ORAÇÃO DA BERÇARISTA

Obrigado, Senhor, por atribuir-me a missão de cuidar de bebês e por fazer de mim uma educadora de grande valor na trajetória de uma pessoa.
São grandes os desafios de cada dia, mas é gratificante ver os objetivos alcançados.
Proteja cada bebê colocando suas mãos sobre suas vidas;
Dê-me atenção redobrada para que nenhum mal lhes sobrevenha;
Que eu possa respeitar cada criança e a sua personalidade;
Que os meus lábios só produzam palavras de bênçãos;
Que meus atos sejam para demonstrar amor e afeto;
Que meu ideal seja fazer cada bebê feliz no período de tempo que estiver com eles;
Que eu possa honrar minha profissão;
Que eu não venha guardar ressentimento contra meus colegas de trabalho devidos às circunstâncias do dia a dia;
Que eu seja um exemplo para cada pessoa que estiver ao meu redor.
Sei que sou frágil, mas me fortaleço em Ti para cumprir a minha missão diária.
Abençoa todos os que se empenham neste trabalho.
Obrigado, meu Deus,
pela sua presença na minha vida e por oferecer-me o dom especial de cuidar de crianças.
Amém!



ATRIBUIÇÕES DA BERÇARISTA

1. Receber crianças do berçário e maternal, verificando suas condições de saúde e higiene;
2. Cuidar das atividades de amamentação, preparo de alimentos, limpeza de roupas, de brinquedos e demais objetos utilizados pelas crianças preservando sempre boas condições de higiene e segurança.
3. Trocar fraldas, dar banho e zelar pela higiene do bebê no decorrer de todo o período em que este permanecer na creche.
4. Ministrar mamadeiras, papinhas e outros alimentos sempre dentro dos horários estabelecidos.
5. Estar atento às modificações de comportamento do bebê e dar ciência ao responsável de suas observações.
6. Participar de grupos de estudo e reuniões de equipe eventualmente ou periodicamente convocadas pela direção.
7. Auxiliar na hora do repouso do bebê, providenciando-lhes todo o material necessário, assim como também objetos de uso pessoal/afetivo como chupetas, bichinhos de pelúcias, etc.
8. Responsabilizar-se pelas crianças que aguardam os pais, após o horário regular de saída, zelando pela sua segurança e bem-estar.
9. Zelar e cuidar pela integridade física das crianças.
10. Executar outras tarefas correlatas à sua área de atuação.


BERÇARISTA
CONHEÇA OS DIREITOS DA CRIANÇA QUE VOCÊ CUIDA

Critérios para um Atendimento em Creches que Respeite os Direitos Fundamentais das Crianças


Nossas crianças têm direito à brincadeira

• Os brinquedos estão disponíveis às crianças em todos os momentos;
• Os brinquedos são guardados em locais de livre acesso às crianças;
• Os brinquedos são guardados com carinho, de forma organizada;
• As rotinas da creche são flexíveis e reservam períodos longos para as brincadeiras livres das crianças;
• As famílias recebem orientação sobre a importância das brincadeiras para o desenvolvimento infantil;
• Ajudamos as crianças a aprender a guardar os brinquedos nos lugares apropriados;
• As salas onde as crianças ficam estão arrumadas de forma a facilitar brincadeiras espontâneas e interativas;
• Ajudamos as crianças a aprender a usar brinquedos novos;
• Os adultos também propõem brincadeiras às crianças;
• Os espaços externos permitem as brincadeiras das crianças;
• As crianças maiores podem organizar os seus jogos de bola, inclusive futebol;
• As meninas também participam de jogos que desenvolvem os movimentos amplos: correr, jogar, pular;
• Demonstramos o valor que damos às brincadeiras infantis participando delas sempre que as crianças pedem;
• Os adultos também acatam as brincadeiras propostas pelas crianças.

Nossas crianças têm direito à atenção individual

• Chamamos sempre as crianças por seu nome;
• Observamos as crianças com atenção para conhecermos melhor cada uma delas;
• O diálogo aberto e contínuo com os pais nos ajuda a responder às necessidades individuais da criança;
• A criança é ouvida;
• Sempre procuramos saber o motivo da tristeza ou do choro das crianças;
• Saudamos e nos despedimos individualmente das crianças na chegada e saída da creche;
• Conversamos e somos carinhosos com as crianças no momento da troca de fraldas e do banho;
• Comemoramos os aniversários de nossas crianças;
• Crianças muito quietas, retraídas, com o olhar parado, motivam nossa atenção especial;
• Aprendemos a lidar com crianças mais agitadas e ativas sem discriminá-las ou puni-las;
• Aprendemos a lidar com preferências individuais das crianças por alimentos;
• Ficamos atentos à adequação de roupas e calçados das crianças nas diversas situações;
• Damos suporte às crianças que têm dificuldades para se integrar nas brincadeiras dos grupos;
• Procuramos respeitar as variações de humor das crianças;
• Procuramos respeitar o ritmo fisiológico da criança: no sono, nas evacuações, nas sensações de frio e calor;
• Crianças com dificuldades especiais recebem apoio para participar das atividades e brincar com os colegas;
• Nossas crianças têm direito a momentos de privacidade e quietude;
• Evitamos usar e que as crianças usem apelidos que discriminem outras crianças;
• Procuramos analisar porque uma criança não está bem e encaminhá-la à orientação especializada quando necessário.


Nossas crianças têm direito a um ambiente aconchegante, seguro e estimulante.

• Arrumamos com capricho e criatividade os lugares onde as crianças passam o dia;
• Nossas salas são claras, limpas e ventiladas;
• Não deixamos objetos e móveis quebrados nos espaços onde as crianças ficam;
• Mantemos fora do alcance das crianças produtos potencialmente perigosos;
• As crianças têm lugares agradáveis para se recostar e desenvolver atividades calmas;
• As crianças têm direito a lugares adequados para seu descanso e sono;
• Nossa creche demonstra seu respeito às crianças pela forma como está arrumada e conservada;
• Nossa creche sempre tem trabalhos realizados pelas crianças em exposição;
• Quando fazemos reformas na creche nossa primeira preocupação é melhorar os espaços usados pelas crianças;
• Quando fazemos reformas tentamos adequar a altura das janelas, os equipamentos e os espaços de circulação às necessidades de visão e locomoção das crianças;
• Nossa equipe procura desenvolver relações de trabalho cordiais e afetivas;
• Procuramos tornar acolhedor o espaço que usamos para receber e conversar com as famílias;
• Procuramos garantir o acesso seguro das crianças à creche;
• Lutamos para melhorar as condições de segurança no trânsito nas proximidades da creche.


Nossas crianças têm direito ao contato com a natureza
  • Nossa creche procura ter plantas e canteiros em espaços disponíveis;
  • Nossas crianças têm direito ao sol;
  • Nossas crianças têm direito de brincar com água;
  • Nossas crianças têm oportunidade de brincar com areia, argila, pedrinhas, gravetos e outros elementos da natureza;
  • Sempre que possível levamos os bebês e as crianças para passear ao ar livre;
  • Nossas crianças aprendem a observar, amar e preservar a natureza;
  • Incentivamos nossas crianças a observar e respeitar os animais;
  • Nossas crianças podem olhar para fora através de janelas mais baixas e com vidros transparentes;
  • Nossas crianças têm oportunidade de visitar parques, jardins e zoológicos;
  • Procuramos incluir as famílias na programação relativa à natureza

Nossas crianças têm direito à higiene e à saúde
  • Nossas crianças têm direito de manter seu corpo, cuidado, limpo e saudável;
  • Nossas crianças aprendem a cuidar de si próprias e assumir responsabilidades em relação à sua higiene e saúde;
  • Nossas crianças têm direito a banheiros limpos e em bom funcionamento;
  • O espaço externo da creche e o tanque de areia são limpos e conservados periodicamente de forma a prevenir contaminações;
  • Nossas crianças têm direito à prevenção de contágios e doenças;
  • Lutamos para melhorar as condições de saneamento nas vizinhanças da creche;
  • Acompanhamos com as famílias o calendário de vacinação das crianças;
  • Acompanhamos o crescimento e o desenvolvimento físico das crianças;
  • Mantemos comunicação com a família quando uma criança fica doente e não pode frequentar a creche;
  • Procuramos orientação nos serviços básicos de saúde para a prevenção de doenças contagiosas existentes no bairro;
  • Procuramos orientação especializada para o caso de crianças com dificuldades físicas, psico-afetivas ou problemas de desenvolvimento;
  • Sempre que necessário encaminhamos as crianças ao atendimento de saúde disponível ou orientamos as famílias para fazê-lo;
  • O cuidado com a higiene não impede a criança de brincar e se divertir;
  • Damos o exemplo para as crianças, cuidando de nossa aparência e nossa higiene pessoal.

Nossas crianças têm direito a uma alimentação sadia
  • Preparamos os alimentos com capricho e carinho;
  • Nossas crianças têm direito a um ambiente tranqüilo e agradável para suas refeições;
  • Planejamos alimentos apropriados para as crianças de diferentes idades;
  • Permitimos que meninos e meninas participem de algumas atividades na cozinha, sempre que possível;
  • Procuramos respeitar preferências, ritmos e hábitos alimentares individuais das crianças;
  • Procuramos diversificar a alimentação das crianças, educando-as para uma dieta equilibrada e variada;
  • Incentivamos as crianças maiorzinhas a se alimentarem sozinhas;
  • A água filtrada está sempre acessível às crianças;
  • Incentivamos a participação das crianças na arrumação das mesas e dos utensílios, antes e após as refeições;
  • Nossa cozinha é limpa e asseada;
  • Nossa despensa é limpa, arejada e organizada;
  • Valorizamos o momento da mamadeira, segurando no colo os bebês e demonstrando carinho para com eles;
  • Ajudamos os pequenos na transição da mamadeira para a colher e o copo;
  • Procuramos sempre incluir alimentos frescos nos cardápios;
  • Procuramos manter uma horta, mesmo pequena, para que as crianças aprendam a plantar e cuidar das verduras;
  • As famílias são informadas sobre a alimentação da criança e suas sugestões são bem recebidas.

Nossas crianças têm direito a desenvolver sua curiosidade, imaginação e capacidade de expressão
  • Nossas crianças têm direito de aprender coisas novas sobre seu bairro, sua cidade, seu país, o mundo, a cultura e a natureza;
  • Valorizamos nossas crianças quando tentam expressar seus pensamentos, fantasias e lembranças;
  • Nossas crianças têm oportunidade de desenvolver brincadeiras e jogos simbólicos;
  • Nossas crianças têm oportunidade de ouvir músicas e de assistir teatro de fantoches
  • Nossas crianças são incentivadas a se expressar através de desenhos, pinturas, colagens e modelagem em argila;
  • Nossas crianças têm direito de ouvir e contar histórias;
  • Nossas crianças têm direito de cantar e dançar;
  • Nossas crianças têm livre acesso a livros de história, mesmo quando ainda não sabem ler;
  • Procuramos não deixar as perguntas das crianças sem resposta;
  • Quando não sabemos explicar alguma coisa para as crianças, sempre que possível procuramos buscar informações adequadas e trazê-las posteriormente para elas;
  • Sempre ajudamos as crianças em suas tentativas de compreender as coisas e os acontecimentos à sua volta;
  • Não reprimimos a curiosidade das crianças pelo seu corpo;
  • Não reprimimos a curiosidade sexual das crianças;
  • Bebês e crianças bem pequenas aproveitam a companhia de crianças maiores para desenvolver novas habilidades e competências;
  • Crianças maiores aprendem muito observando e ajudando a cuidar de bebês e crianças pequenas;
  • Não deixamos nossas crianças assistindo televisão por longos períodos;
  • As famílias são informadas sobre o desenvolvimento de suas crianças.

Nossas crianças têm direito ao movimento em espaços amplos
  • Nossas crianças têm direito de correr, pular e saltar em espaços amplos, na creche ou nas suas proximidades;
  • Nossos meninos e meninas têm oportunidade de jogar bola, inclusive futebol;
  • Nossos meninos e meninas desenvolvem sua força, agilidade e equilíbrio físico nas atividades realizadas em espaços amplos;
  • Nossos meninos e meninas, desde bem pequenos, podem brincar e explorar espaços externos ao ar livre;
  • Nossas crianças não são obrigadas a suportar longos períodos de espera;
  • Os bebês não são esquecidos no berço;
  • Os bebês têm direito de engatinhar;
  • Os bebês têm oportunidade de explorar novos ambientes e interagir com outras crianças e adultos;
  • As crianças pequenas têm direito de testar seus primeiros passos fora do berço;
  • Reservamos espaços livres cobertos para atividades físicas em dias 
    de chuva;
  • Organizamos com as crianças aquelas brincadeiras de roda que aprendemos quando éramos pequenos;
  • Procuramos criar ocasiões para as famílias participarem de atividades 
    ao ar livre com as crianças.

Nossas crianças têm direito à proteção, ao afeto e à amizade.
  • Nossas crianças sabem que são queridas quando percebem que suas famílias são bem-vindas e respeitadas na creche;
  • Nossa creche respeita as amizades infantis;
  • Nossa creche valoriza a cooperação e a ajuda entre adultos e crianças;
  • Nossas crianças encontram conforto e apoio nos adultos sempre que precisam;
  • Procuramos entender porque a criança está triste ou chorando;
  • Procuramos ajudar as pessoas da equipe quando enfrentam problemas pessoais sérios;
  • Procuramos não interromper bruscamente as atividades das crianças;
  • Evitamos situações em que as crianças se sintam excluídas;
  • Evitamos comentar assuntos relacionados com as crianças e seus 
    familiares na presença delas;
  • Nossas crianças, mesmo quando brincam autonomamente, não ficam sem a proteção e o cuidado dos adultos;
  • Conversamos e brincamos com os bebês quando estão acordados;
  • Nossas crianças recebem atenção quando nos pedem ou perguntam alguma coisa;
  • Procuramos proteger as crianças de eventuais agressões dos colegas;
  • Ajudamos as crianças a desenvolver seu auto-controle e aprender a lidar com limites para seus impulsos e desejos;
  • Explicamos as crianças os motivos para comportamentos e condutas que não são aceitos na creche;
  • Nunca deixamos de procurar entender e tomar providências quando nossas crianças aparecem na creche machucadas e amedrontadas.

Nossas crianças têm direito a expressar seus sentimentos
  • Nossas crianças têm direito à alegria e à felicidade;
  • Nossos meninos e meninas têm direito a expressar tristeza e frustração;
  • Procuramos ensinar meninos e meninas como expressar e lidar com seus sentimentos e impulsos;
  • Procuramos sempre enfrentar as reações emocionais das crianças com carinho e compreensão;
  • Procuramos sempre entender as reações das crianças e buscar orientação para enfrentar situações de conflito;
  • O bem-estar físico e psicológico das crianças é um de nossos objetivos 
    principais;
  • Ajudamos as crianças a desenvolver sua autonomia;
  • Sempre conversamos com as crianças sobre suas experiências em casa e no bairro;
  • Nossas crianças podem, sempre que querem, procurar e ficar perto de seus irmãozinhos que também estão na creche;
  • Nossas crianças expressam seus sentimentos através de brincadeiras, desenhos e dramatizações;
  • A manifestação de preconceitos de raça, sexo ou religião nos mobiliza para que procuremos incentivar atitudes e comportamentos mais igualitários na creche.


Nossas crianças têm direito a uma especial atenção durante seu período de adaptação à creche
  • As crianças recebem nossa atenção individual quando começam a freqüentar a creche;
  • As mães e os pais recebem uma atenção especial para ganhar confiança e familiaridade com a creche;
  • Nossas crianças têm direito à presença de um de seus familiares na creche durante seu período de adaptação;
  • Nosso planejamento reconhece que o período de adaptação é um momento muito especial para cada criança, sua família e seus educadores;
  • Nosso planejamento é flexível quanto a rotinas e horários para as crianças em período de adaptação;
  • Nossas crianças têm direito de trazer um objeto querido de casa para ajudá-las na adaptação à creche: uma boneca, um brinquedo, uma chupeta, um travesseiro;
  • Criamos condições para que os irmãozinhos maiores que já estão na creche ajudem os menores em sua adaptação à creche;
  • As mães e os pais são sempre bem-vindos à creche;
  • Reconhecemos que uma conversa aberta e franca com as mães e os pais é o melhor caminho para superar as dificuldades do período de adaptação;
  • Observamos com atenção a reação dos bebês e de seus familiares durante o período de adaptação;
  • Nunca deixamos crianças inseguras, assustadas, chorando ou apáticas, sem atenção e carinho;
  • Nossas crianças têm direito a um cuidado especial com sua alimentação 
    durante o período de adaptação;
  • Observamos com cuidado a saúde dos bebês durante o período de adaptação.


Nossas crianças têm direito a desenvolver sua identidade cultural, racial e religiosa
  • Nossas crianças têm direito a desenvolver sua auto-estima;
  • Meninos e meninas têm os mesmos direitos e deveres;
  • Nossas crianças, negras e brancas, aprendem a gostar de seu corpo e de sua aparência;
  • Respeitamos crenças e costumes religiosos diversos dos nossos;
  • Nossas crianças não são discriminadas devido ao estado civil ou à profissão de seus pais;
  • A creche é um espaço de criação e expressão cultural das crianças, das famílias e da comunidade;
  • Nossas crianças, de todas as idades, participam de comemorações e festas tradicionais da cultura brasileira: carnaval, festas juninas, natal, datas especiais de nossa história;
  • Nossas crianças visitam locais significativos de nossa cidade, sempre que possível: parques, museus, jardim zoológico, exposições;
  • Nossas crianças visitam locais significativos do bairro, sempre que possível: a padaria, uma oficina, a praça, o corpo de bombeiros, um quintal;
  • Estimulamos os pais a participar ativamente de eventos e atividades na creche.




PROGRAMAÇÃO DIÁRIA (modelo sugestivo)

7h00 Entrada
8h00 Trocas
9h00 Lanchinho
9h30 Banho de sol
10h00 Banho
11h00 Almoço
11h30 Higiene
12h00 Soninho
14h00 Lanche
14h30 Sala Estimulação
15h00 Banho
15h30 Sala de Estimulação
17h00 Jantar
17h30 Higiene
18h00 Videoteca

 OBS: Esse horário pode e deve mudar de acordo com a realidade da creche, dos CEIs, e ou mesmo municípios.




Grupo 1: Recém nascidos e Bebezinhos de 1 mês

CARACTERÍSTICAS DO RECÉM-NASCIDO

O recém-nascido apresenta uma postura de flexão nos primeiros meses de vida. Sua cabeça raramente está na linha média do corpo, ele não tem controle ativo de cabeça, a não ser a habilidade de girar a cabeça de um lado para o outro quando está de bruços, a fim de respirar. 
O roçar do rosto no lençol é a primeira estimulação tátil que a criança experimenta.
Os braços estão em flexão com a mão fechada e o polegar dentro da palma da mão. Seus movimentos são bruscos e em bloco, reage à luz e ao som grave com piscar de olhos. 

Atividades de estimulação
  • Converse e faça uma massagem no bebê enquanto o limpa;
  • Quando o bebê estiver despido, permita-lhe mover livremente as pernas e os braços;
  • Coloque um dedo na mãozinha do bebê para que o aperte, e se o fizer, erga a mão para que faça força;
  • Segure-lhe nos braços com suavidade e movimente-os para cima e para baixo;
  • Coloque o bebê de barriga para baixo, e empurre com a mão um pezinho para frente;
  • Aproveite o momento da alimentação para fazer-lhe carinhos: tocar-lhe nos bracinhos, nas mãozinhas e nos dedinhos um por um, cantar-lhe, repetir-lhe sons;
  • Deite-o em posições diferentes;
  • Cuide do seu sono, mas procurando que se habitue a dormir com os ruídos habituais, assim como a estar com outras pessoas;
  • Movimente a chupeta na sua boca para que exercite o movimento de chupar;
  • Mostre-lhe um objeto de cores vivas e mova-o lentamente para que o siga com o olhar;
  • Coloque um móbile no berço;
  • Embale-o suavemente no colo.

CARACTERÍSTICAS DO BEBÊ DE UM MÊS
  • Consegue fixar o olhar por mais tempo, neste mês provavelmente ele aprenderá a focar o olhar e passará a ter gosto por cores;
  • Na quarta semana provavelmente erguerá a cabeça e na sétima semana na posição de bruços ele levanta a cabeça e o peito por curtos intervalos;
  • Começa emitir os primeiros sons;
  • Tenta seguir o movimento das mãos dos adultos;
  • Sorri involuntariamente.

Atividades de estimulação
  • Imitar os sons que ele emite;
  • Conversar com ele bem próximo ao rosto;
  • Cantar para ele;
  • Contato físico;
  • Ficar bem perto do rosto do bebê e virar a cabeça de um lado para o outro, o que o fará seguir o gesto e, possivelmente, sorrir;
  • Brincar com o chocalho bem perto do bebê;
  • Utilizar CD’s de músicas bem suaves;
  • A partir da sétima semana, colocar o bebê de bruços, acordado, um pouco por dia, para que ele se exercite, sempre sob a supervisão de alguém;
  • Repita-lhe alguns sons: "aaa", "eee", "bbb";
  • Segure-lhe nas mãozinhas, junte-as e separe-as;
  • Estique e dobre suavemente as pernas do bebê, movendo-as para cima e para baixo;
  • Permita-lhe brincar com a água durante algum tempo durante o banho;
  • Ofereça-lhe algum objeto que ao tocá-lo emita som;
  • Mostre-lhe um objeto, e quando tiver fixado o olhar nele, mova-o lentamente,
  • Coloque a criança de costas para que mova os braços e as pernas. Segure suas mãos, junte-as e depois as separe. Faça isto várias vezes;
  • Segure as pernas do bebê, estique-as e dobre-as suavemente;
  • Segure as pernas do bebê e mova-as suavemente para cima, sem dobrar os joelhos; depois, abaixe-as devagar;
  • Faça um rolo com uma toalha, mais ou menos da espessura de uma garrafa. Ponha a criança de bruços, com o rolo na altura do peito e os braços para cima do rolo. Segurando-o pelos quadris, empurre-o devagarinho para frente e para trás;
  • Deixe o bebê, todos os dias, durante pouco tempo de bruços; coloque um brinquedo à sua frente;
  • Estimule-o a rolar para o lado direito ou esquerdo;
  • Deixe a criança deitada de costas na cama. Mostre-lhe um objeto de cor viva. Espere que ele se fixe bem no que você está mostrando e mova lentamente o objeto para um lado, fazendo com que ele siga com o olhar. Faça o mesmo para outro lado. Repita isto várias vezes.
  • Aproveite a posição acima e mostre dois objetos, por exemplo: duas caixas de fósforos. Você, ao movê-las, fará barulho e o bebê prestará atenção. Separe-as e mova primeiro uma, depois a outra, fazendo com que seu bebê olhe para a que faz barulho. Caso não tenha caixa de fósforos, use suas mãos, estalando os dedos, primeiro de uma mão, depois da outra.


Grupo 2 : Bebezinhos de 2 a 4 meses

CARACTERÍSTICAS DO BEBÊ DE DOIS MESES
  • Primeiros sorrisos voluntários;
  • Enruga a testa ao ver alguém ou algo diferente;
  • Os movimentos faciais podem demonstrar satisfação, alegria ou angústia;
  • Fica imóvel ao ouvir uma voz conhecida;
  • Emite sons e vocalizações;
  • Passa a gostar de desenhos detalhados, com padrões, cores e formas mais complexos;
  • Sonos mais prolongados;
  • Os movimentos tornam-se mais controlados;
  • Começa a pegar objetos voluntariamente;
  • Já consegue sustentar um pouco mais a cabeça;
  • Levanta o queixo quando esta de bruços (“De bruços” somente com adulto por perto)
  • Começa levar a mão à boca, sugar os dedos e brincar com a língua;
  • Vira a cabeça quando escuta um ruído;
  • Acompanha com os olhos o movimento de um objeto.

CARACTERÍSTICAS DO BEBÊ DE TRÊS MESES
  • Reconhece visualmente a mãe;
  • Sorri para quem sorri para ele;
  • Olha para as pessoas, balbucia e faz vocalizações prolongadas;
  • Com a forma da cabeça mais arredondada ele começa a ficar deitado com o rosto virado para cima;
  • No berço, agarra o lençol e outras coisas que estão por perto e puxa para si.
  • Ele já consegue fixar o olhar;
  • Segurar guizos;
  • Observar as mãos e os pés;
  • Espiar as atividades de pessoas que estão por perto;
  • Parar o que está fazendo quando ouve um barulho e balbuciar sozinho.

CARACTERÍSTICAS DO BEBÊ DE QUATRO MESES
  • Quando de bruços, consegue levantar a cabeça e os ombros apoiando nos braços;
  • Consegue manter-se sentado com apoio por alguns segundos;
  • Descobre a função e o movimento dos dedos colocando-os na boca e segurando as coisas;
  • Observa o movimento dos dedos;
  • Consegue distinguir duas cores;
  • Memória com duração de 5 a 7 segundos o que faz com que ele se divirta com brincadeiras repetitivas;
  • Reagem quando é chamado pelo nome virando a cabeça;
  • Demonstra interesse por determinado brinquedo;
  • Para de chorar ao ver mamadeira ou peito;
  • Tosse para chamar atenção;
  • Se expressa com sílabas e gritos fortes;
  • Surge a gargalhada.


OBJETIVOS GERAIS
  • Adquirir controle completo dos movimentos da cabeça;
  • Erguer a cabeça em decúbito prono, do plano horizontal e mantê-la.
  • Apoiar sobre os cotovelos, quando em decúbito prono.
  • Segurar voluntariamente objetos. Preensão cúbito-palmar.
  • Perseguir visualmente um objeto em todos os planos 180 graus.
    
Atividades relativas aos:

Objetivo 1: Colocar a criança em supino, segurá-la pelas mãos, e estimulá-la a sentar, fazendo uma tração nos membros superiores. Inicialmente proteger a cabeça. Estimular com o som da voz humana, chamando-a pelo nome.

Objetivo 2 e 3: Colocar a criança em posição prono e estimulá-la a erguer cada vez mais a cabeça do plano horizontal.


Objetivo 4: Colocar na mão do bebê objetos pequenos, chocalhos, bichos de borracha e deixar levá-los à boca.

Objetivo 5: Estimular o bebê a seguir lentamente um objeto num arco de 180 graus.
Seguir o rosto humano.

RECURSOS
Chocalhos; 
Bichos de borracha;
Rosto humano; 
Brinquedos coloridos e atraentes.

ATIVIDADES ESPECÍFICAS

2 meses
  • Imitar os sons que ele emite;
  • Conversar com ele bem próximo ao rosto;
  • Cantar para ele;
  • Tocar-lhe com carinho;
  • Movimentar o chocalho para o bebê;
  • Reproduzir CD’s com músicas bem suaves;
  • Deixe o bebê olhar e tocar uma gama maior de objetos; (Entre as boas opções estão brinquedos de plástico e bolas macias). 
  • Oferecer brinquedos que emitam sons e luzes; (É importante lembrar-se de verificar a indicação de idade na embalagem, para que essas luzes e sons não agridam o bebê).
  • Colocar um brinquedo no campo de visão do bebê, a uns 15 ou 20 cm de distância, e mova para que ele acompanhe com os olhos;
  • Pendurar móbiles no berço.
  • Enquanto o bebê estiver deitado de barriga para cima, sem roupa ou com roupa leve, mova-lhe as pernas imitando o movimento de pedalada;
  • Ajude-o a passar da posição de costas para a posição de barriga para baixo;
  • Segure num dos seus bracinhos, estique-o para cima e movimente o bebê lentamente, para o mesmo lado (segurando-lhe na cabeça se for necessário);
  • Passe um dedo pela barriguinha do bebê, desenhando linhas ao redor do seu umbigo, e espere a sua reação;
  • Durante os passeios, mostre ao bebê objetos que encontrar dizendo o nome dos mesmos;
  • Pendure num fio brinquedos ou elementos de cores e texturas diferentes;
  • Chame-o pelo seu nome e diga também os nomes das outras pessoas;
  • Deixe-o escutar os ruídos que faz enquanto trabalha;
  • Coloque o bebê debaixo de uma árvore para que observe o movimento das folhas.
  • Segure qualquer objeto que chame a atenção da criança. Faça com que o siga com o olhar, movendo-o lentamente para cima e para baixo, de um lado para o outro;
  • Deixe-o de bruços, isto o ajudará a sustentar melhor a cabeça;
  • Dobre as pernas do bebê, levando os joelhos até o peito, sem forçá-lo.
  • Ajude-o a passar da posição de costas para a de bruços. Segure um de seus braços e leve-o para cima, ao lado da cabeça. Empurre-o suavemente para esse lado, par que dê a volta.
  • Repita isto três vezes sustentando lhe a cabeça, se for necessário;
  • Quando o bebê estiver de bruços, passe com firmeza um dedo ao longo das costas. Isto vai ajudá-lo a levantar a cabeça e os ombros.

3 meses
  • Conversar com ele mostrando os objetos que estão ao ser redor;
  • Cantar para ele;
  • Oferecer chocalhos e guizos para ele movimentar;
  • Reproduzir CD’s de músicas bem suaves;
  • Pendurar móbiles no berço;
  • Aproveitar a hora do banho utilizando brinquedos flutuantes como patinhos de borracha, cantar, movimentar a água.
  • Sorria e demonstre alegria pelas coisas que o bebê está aprendendo (quando leva a chupeta à boca, quando agarra alguma coisa, etc.);
  • Se você vai buscar alguma coisa chame-o para que ele o acompanhe com o olhar;
  • Aproveite este momento para brincar de “esconder” com ele. Coloque uma fralda limpa, por pouco tempo, sobre o rosto dele, retire e demonstre alegria quando ele aparecer. Cubra também o seu rosto com a fralda, reaparecendo e dizendo “Oi!”, demonstre alegria e surpresa;
  • Na hora de mudar as fraldas, levante com cuidado, os pés do bebê até que ele os veja e depois, vá abaixando-os lentamente, para que acompanhe o movimento com o olhar;
  • Cante para o bebê;
  • A criança deve tocar, segurar e soltar a mamadeira enquanto mama. Para isso suas mãos devem estar livres e descobertas;
  • Coloque a chupeta na mão do bebê, para que ele mesmo leve à boca;
  • Os bebês aprendem a respeito dos objetos que os cercam, levando-os a boca ou pegando-os, ou seja, sentindo os objetos em suas próprias mãos e na boca;
  • Ponha o chocalho na palma da mão do bebê e ajude-o a agarrá-lo. Em seguida, erga lhe a mãozinha à altura do rosto e agite levemente o chocalho para que ele perceba que, ao agitá-lo, ele irá produzir um som;
  • Coloque a chupeta na mão para que ele próprio a leve à boca;
  • Repita os sons que o bebé emite, cante-lhe, e se ele cantar, imitar o seu canto;

4 meses
  • Debruçar no berço e provocar o bebê com gestos, caretas, objetos e sumir de repente. Ele irá desaprovar a interrupção da brincadeira fazendo bicos, gritando ou até chorando;
  • O bebê não quer mais ficar na cama o tempo inteiro, é hora de colocá-lo no bebê conforto para observar o ambiente;
  • Ofereça objetos interessantes que emitam sons para que ele possa segurar ou tocar;
  • Deixa-lo brincar livremente no chão sobre tapetes emborrachados, deixando-o de bruços por alguns minutos para que ele faça o exercício de sustentar a cabeça se apoiando nos braços;
  • Utilizar brinquedos pendurados e deixar o bebê deitado para tocar com os pés e as mãos;
  • Conversar com ele mostrando os objetos que estão ao ser redor;
  • Cantar para ele;
  • Reproduzir CD de músicas bem suaves;
  • Pendurar móbiles no berço;
  • Aproveitar a hora do banho utilizando brinquedos flutuantes como patinhos de borracha, cantar, movimentar a água;
  • Mova as pernas do bebê como se ele estivesse andando de bicicleta;
  • Faça a criança sentar, segurando as suas mãozinhas, trazendo a cabeça junto com o corpo, isto é, não deixando a cabeça cair para trás;
  • Converse com a criança sobre a atividade que é feita com ela naquele momento;
  • Faça com que o banho seja agradável para ela. Segure-a com firmeza em diversas posições, deixando-a explorar o que seu corpo pode fazer dentro da água e estimulando-a a fazer movimentos com as pernas e bracinhos na água;
  • Quando a criança ficar sozinha, você deve colocar várias coisas perto para ela se entreter. Amarre um ou dois objetos na cama com um barbante. Deixe objetos que a criança possa pegar, morder e chupar;
  • Mude o bebê de lugar quando possível. Se ele já se apoia bem nas costas, deixe-o recostado durante alguns minutos. Assim ele vai olhar diversas coisas;
  • Forre o chão com uma colcha, lençol ou cobertor. Coloque o bebê em cima, junto com algum objeto que ele goste, e deixe-o mover-se livremente;
  • Ponha a criança em frente a um espelho, durante um tempo curto, para que se olhe;
  • Ponha uma fralda no rosto do bebê para que ele a tire. Você também pode esconder seu rosto ou se esconder atrás de algo;
  • O bebê também sente fome de carinho. Aproveite os momentos  em que ele se alimenta para: sorrir com ele, cantar e conversar (embora ele não entenda as palavras, irá aprender que a gente fala diferente quando está alegre, cansada, triste. E irá também aprender que as palavras servem para transmitir uma mensagem);
  • Com o bebê deitado de costas, segure-lhe nas pernas para que fiquem esticadas;
  • Coloque a outra mão debaixo da cabeça e levante-a para que faça força e se sente;
  • Enquanto estiver de costas, estimule-o para que movimente com as pernas algum objeto que provoque som;
  • Coloque o bebê de barriga para baixo, brinque e anime-o para que endureça o corpo, fazendo força com os seus bracinhos;
  • Coloque entre os brinquedos atados no fio um brinquedo que o bebê possa morder;
  • Não deixe o bebê permanentemente no mesmo lugar;
  • Sempre que seja seguro e possível, coloque-o em frente a um espelho, numa manta no chão, ao lado da janela, etc.
  • Coloque uma fralda sobre o seu rosto para que a retire;
  • Deixe cair um objeto em frente dos seus olhos para que veja onde caiu;
  • Enquanto se alimenta, sorria-lhe e fale-lhe tentando ser expressiva, limpe-lhe o rosto com suavidade e expresse a sua alegria se comeu bem;
  • Durante o banho, permita-lhe brincar, mover-se, fazer ruído com a água, mover as perninhas e os braços.
Grupo 3 : Bebezinhos de 5 a 6 meses

 CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 5 MESES
  • Eleva as pernas e alcança os pés;
  • Rola na cama quando virado de bruços;
  • Apoia na palma das mãos tentando levantar;
  • Segura objetos e agarra tudo que esta ao seu alcance;
  • Consegue pegar um objeto e troca-lo de mão;
  • Coloca tudo na boca, para experimentar as coisas;
  • Chupa os brinquedos;
  • Coloca o pé na boca;
  • Pega o dedo da mãe tenta morder;
  • Ri e emite sons e gosta dos barulhos que faz;
  • Seu rosto expressa medo, susto, alegria, raiva, ansiedade ou excitação;
  • Começa estranhar pessoas que não conhece ou não vê frequentemente;
  • Vira a cabeça quando chamam o seu nome;
  •  Consegue sentar com apoio mantendo as costas retas;

CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE SEIS MESES
  • Usa as mãos para fazer descobertas: quer pegar, alcançar, amassar, apertar;
  • Utiliza os objetivos para fazer barulho no chão ou no berço;
  • Segura os objetos com firmeza para que não consigam tira-lo de suas mãozinhas;
  • Quando um adulto para de brincar ou conversar com o bebê ele começa a fazer sons e balançar os braços pedindo mais;
  • Gostam de pessoas ao seu redor rindo e se divertindo com suas gracinhas;
  • Conseguem ficar sentados com apoio, jogam o corpo e rolam. (Atenção: os tombos podem acontecer a qualquer momento);
  • Ele é capaz de se virar para um lado, para o outro, para frente e para trás;
  • A linguagem continua se desenvolvendo e agora o bebê balbucia para os brinquedos, usa consoantes e vogais diversas, resmunga e gargareja. Também consegue usar tonalidades diferentes para demonstrar raiva, alegria, dúvida, desapontamento;
  • Nessa fase o bebê já distingue perfeitamente rostos familiares e estranhos. Seu comportamento social pode ser percebido no reconhecimento de pessoas da família.

OBJETIVOS GERAIS

  1. Sentar com apoio. 
2. Desenvolver a preensão voluntária de  objetos - Preensão palmar. 
3.  Coordenar os movimentos mão-objeto/objeto-boca. 
4. Sentar sem apoio momentaneamente. 
5. Rolar sobre si mesmo. 
6. Desenvolver músculos das extremidades e distribuir o peso do corpo nos pés.
    
Atividades relativas aos:
   
Objetivo 1: Colocar a criança em supino. Estimulá-la a sentar chamando-a pelo nome, dando apoio às duas mãos. Tracioná-la levemente (criança deve ajudar, trazendo a cabeça);
Levantar a criança no colo, sem dar apoio para a cabeça; 
Colocar a criança sentada, com apoio, no sofá;

Objetivos 2 e 3: Estimular a criança a pegar brinquedos de diferentes tamanhos e texturas. Aproximar as palmas das mãos na linha média de visão do bebê. Não impedir que leve objetos à boca. Estimular o sacudir de chocalhos.

Objetivo 4 e 5: Rolar a criança de um lado para o outro, de bruços e de costas. Usar um cobertor e rolar a criança, erguendo uma das pontas suavemente (plano inclinado). 

Objetivo 6: Aproximar os pulsos, palmas e dedos da mão e calcanhares do pé; Mão com mão; Mão direita com pé direito; Mão esquerda com pé esquerdo; Mão direita com pé esquerdo; Mão esquerda com pé direito.
Segurá-la nas axilas e estimulá-la a molejo,  jogando o peso do corpo nos pés.

    
RECURSOS
Sofá/poltrona;
Bebê conforto; 
Bichos de borracha com assovios; 
Mordedor de borracha; 
Chocalhos interessantes; 
Argolas coloridas.


ATIVIDADES ESPECÍFICAS

5 meses
  • Brinquedos de diferentes texturas;
  • Cantar para o bebê;
  • Colocar músicas para o bebê ouvir;
  • Fazer diferentes caretas e sons para que ele imite.
  • Se não estiver frio, retire toda a roupa do bebê e deixe-o movimentar-se livremente;
  • Passar objetos de texturas diferentes na palma da mão e na sola dos pés (escova, esponja, sabonete, etc.).
  • Enrole algumas vezes a mamadeira com a fralda ou outros tecidos de texturas diferentes estimulando a criança a segurá-la;
  • Acaricie a criança enquanto ela mama.
  • Quando a criança está acordada, deve ficar recostada num lugar onde possa olhar à sua volta e movimentar livremente os braços;
  • Deixe perto diversos objetos, de diversas formas, e, de preferência, que façam ruídos diferentes, como por exemplo, potes de plástico, colheres de pau, garrafas de plástico com alguma coisa dentro (bem fechada);
  • Ponha música para ele ouvir;
  • Leve o bebê para passear pelo ambiente, dentro e fora para que observe as coisas que o cercam;
  • Repita os sons que ele emite;
  • Ofereça-lhe a possibilidade de descobrir novos objetos: recipientes, uma garrafa plástica bem fechada com um objeto dentro, uma colher de madeira, brinquedos com música, etc.;
  • Repita os sons que o bebê emite;
  • Fale-lhe e pronuncie os nomes das pessoas e coisas: "papá", "bebê", "água", etc;
  • Esconda objetos da sua vista, tapando-os com algo que ele possa levantar. Cubra parcialmente algum objeto e mostre alegria quando o destapa;
  • Antes do banho e ao despi-lo, permita-lhe brincar com o seu corpo sem roupa e estimule-o para que faça exercícios;
  • Enquanto estiver de barriga para baixo, coloque algum objeto vistoso diante dele e veja se ele levanta os bracinhos e a cabeça para agarrá-lo.


6 meses
  • Mostre as cores e diga os nomes,
  • Imite o barulho dos animais,
  • Cante músicas infantis,
  • Aponte as partes do corpo e diga os nomes;
  • Incentive-o a se arrastar para pegar os brinquedos;
  • Coloque seu brinquedo preferido a alguns centímetros de onde ele está e faça movimentos, barulhos e chame o bebê. Essa etapa em que ele começa a se locomover para alcançar objetos é importante para o aprendizado do engatinhar.
  • Com o tempo a criança terá que aprender a comer sem ajuda, apesar dela aprender aos poucos, alguma coisa ela já pode fazer. Deixe-a tentar;
  • Dê a mamadeira para que ela a segure com as próprias mãos;
  • Deixe que tire do prato com os dedos, pedacinhos de comida ou pão e os leve à boca;
  • Dê uma colher para que vá aprendendo a segurá-la;
  • Aproveite a hora de trocar a fralda ou dar banho, não só para fazer a higiene do bebê, mas também para acariciá-lo. O carinho demonstrado por você ao tocá-lo é indispensável para que ele se sinta querido e aprenda a querer;
  • Em cada parte do corpo que você limpar, faça uma pequena massagem;
  • Enxugue-o suavemente, sem esfregar;
  • Cante para ele;
  • Repita os sons que ele emite.
  • Mostre algum objeto de interesse da criança. Quando ela fixar o olhar, movimente o objeto para um lado e para o outro, para cima e para baixo, para  que ela o acompanhe com o olhar;
  • Deixe cair o objeto no chão para que o bebê siga o movimento do mesmo com o olhar;
  • Quando ele estiver recostado na cama, role uma bola rapidamente para ele;
  • Esconda algum objeto grande, uma bola, por exemplo, embaixo de uma fralda para que ele descubra;
  • Tape um objeto com um pedaço de pano e mostre à criança onde está fazendo barulho ou movimentando-o embaixo do pano. Pode deixar parte do objeto de fora;
  • Coloque-o no chão de bruços e deixe que ele se arraste e tente engatinhar;
  • Deixe que ele se olhe num espelho;
  • Mude-o sempre de lugar para que olhe coisas diferentes;
  • Coloque a chupeta na mão do bebê ao contrário, de tal maneira que ele tenha que virá-la para colocá-la na boca;
  • Em pé e em frente de uma mesa, segure o bebê pelos braços e apoiando as suas costinhas no seu ventre. Segure-o firmemente à altura do bumbum e incline-o suavemente para a frente, até que toque na mesa com as mãos;
  • Comece a ensiná-lo a segurar numa colher;




Grupo 4 : Bebezinhos de 7 e 8 meses

CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 7 MESES
  • A coluna já está mais firme e o bebê começa a ficar sentado sozinho;
  • Começa a se locomover voluntariamente;
  • Prepara-se para engatinhar;
  • Começa a se arrastar e rolar para alcançar objetos que estão longe;
  • Começa a usar sílabas como dada, papa etc.
  • Diverte-se com os sons que emite;
  • Diverte-se e da gargalhadas com as brincadeiras, participa e pede mais gritando e movimentado o corpo.

CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 8 MESES
  • Alguns bebês começam a engatinhar, ganhando mais independência para se locomover sozinha;
  • O bebê começa a se debruçar em móveis na tentativa de levantar-se;
  • Reconhece seu nome quando é chamado e algumas palavras constantemente repetidas em seu cotidiano;
  • Balbucia sílabas e testa sua voz e os sons que produz, dando diferentes entonações;
  • Participa ativamente das brincadeiras propostas, trocando sinais com os adultos e demonstrando diferentes reações às provocações;
  • Começa a imitar gestos;
  • Quer morder tudo, até as pessoas, usa as mãos de todas as maneiras, inclusive para puxar os cabelos da mamãe, mas como uma forma de carinho, para experimentar.

 OBJETIVOS GERAIS
1. Sentar sozinho mantendo o tronco ereto. 
2. Manter o peso do seu corpo nos pés.
3. Arrastar. 
4. Transferir objetos de mão. Bater um contra o outro. 
5. Engatinhar. 
6. Desenvolver o movimento de pinça inferior. 
7. Segurar um objeto em cada mão. 
8. Bater com o objeto. Sacudir o chocalho.
    
Atividades relativas aos:
   
Objetivos 1 e 2: Fazer a criança passar da posição de deitada para sentada, mantendo as pernas esticadas e dando apoio ora na mão direita, ora na mão esquerda (a mão livre faz apoio no chão para ajudá-la a erguer-se) 
Segurá-la pelas axilas e estimular apoio nos pés. 
Estimular o molejo, flexionar e estender os joelhos.

Objetivo 3: Colocar o bebê de bruços e usando brinquedos atraentes, colocados a distância, estimulá-lo a pegá-los ;
Deitar no chão e colocar-se na frente da criança e chamá-la pelo nome, mostrando brinquedos atraentes. A criança também pode ser colocada num pequeno plano inclinado, cabeça mais baixa que os pés. Estimular o arrastado. Pode-se também dar um ligeiro apoio nos membros inferiores, favorecendo o movimento de flexão dos joelhos.


Objetivos 4, 6, 7 e 8: Pequenos objetos serão usados para a transferência de mão. Estimular o bater um objeto contra o outro, dando ao bebê objetos iguais nas duas mãos. Usar objetos que produzem ações interessantes quando manuseados pelo bebê. Oferecer ao bebê, um terceiro objeto, quando estiver com as duas mãos ocupadas. Dar ao bebê oportunidade de brincar livremente com objetos pequenos.

Objetivo 5: Tão logo o bebê se arraste, tentar colocá-lo na posição de quatro (engatinhar) e balançá-lo para frente e para trás.

RECURSOS

Brinquedos atraentes; 
Pequeno plano inclinado; 
Chocalhos; 
Cubos de papelão; 
Brinquedos de borracha com assovio; 
Caixas de fósforo; 
Argolas.

 ATIVIDADES ESPECIFICAS
 7 meses
  • Quando começa a ficar sentada ela está pronta para brincar com cubos que tenham guizos caixas que se encaixem uma dentro da outra, brinquedos e argolas empilháveis;
  • Sente a criança no chão e coloque seus brinquedos preferidos em volta dela. Ela vai observar, escolher um para brincar, depois trocar por outro. O bebê poderá se distrair assim durante muito tempo;
  •  É interessante que o bebê brinque com outras crianças também;
  • Leve a criança para passear do lado de fora da sala, etc.;
  • Ajude o bebê a ficar de pé, apoiando-se em cadeiras, cama ou outro móvel;
  • Tire dela um objeto com o qual esteja brincando e coloque-o mais adiante para que vá buscá-lo;
  • Dê à criança um objeto para segurar em uma das mãos; dê outra coisa para ocupar a outra mão. Quando ela estiver com as duas mãos ocupadas, dê-lhe outro objeto que goste muito. Deixe que ela mesma “solucione” o problema. Terá que segurar dois objetos com uma mesma mão ou soltar um objeto para pegar o outro;
  • A criança nesta idade gosta de imitar gestos. Brinque com ela de franzir o nariz, bater palmas, levantar os braços, etc;
  • Diga ao bebê o nome das coisas  que o cercam, mostrando-as: maçã, pão, ovo, copo, prato, etc. Procure estabelecer um diálogo com a criança: Olhe o que o bebê vai comer agora, uma maçã. -  Vamos pegar o copo? - Tome aqui a sua colher. A criança não irá responder, isso não importa no momento. Fale o nome correto das coisas. Por exemplo, se você se refere ao sapato nunca diga “papato”.
  • Aproveite a hora do banho para tocar e falar o nome das partes do corpo do bebê, por exemplo: - Agora nós vamos lavar as mãos do bebê.  - Vamos lavar os pés? E assim por diante.
  • Cante-lhe, ria-lhe, faça-lhe cócegas, pegue-o ao colo e dance com ele;
  • Em frente a um espelho, olhem-se e apontem um para o outro;
  • Fale-lhe com expressões diferentes (alegria, pena), e a imitar gestos com o rosto e mãos;
  • Repita-lhe sílabas ("ma", "ta", "pa", etc.). Pronuncie as palavras "mamãe", "papai";
  • Mostre-lhe nas páginas de um livro objetos conhecidos e diga-lhe os nomes, de forma correta e pausada; Permita que o bebê veja você escondendo um objeto que ele gosta de maneira que ele possa alcança-lo e espere sua reação. Se ele não alcançar faça para ele;
  • Coloque-lhe um objeto em cada mão e ofereça-lhe depois um terceiro para ver como soluciona o problema;
  • Jogue às escondidas tapando o rosto e voltando a aparecer (também se pode fazer com objetos);
  • Tire-lhe o objeto com que ele brinca e deixe-o cair perto para que o apanhe;
  • Ofereça-lhe objetos de diferentes texturas, formas e sons, para que bata com eles;
  • Coloque pedacinhos de miolo de pão ou bolacha sobre a mesa e incentive-o para que os agarre com as mãos;
  • Ajude-o a amparar-se apoiado nos móveis;
  • Sente-o sem apoio durante alguns minutos;
  • Coloque o bebê de barriga para baixo e mostre-lhe objetos que estejam a certa distância, incentivando-o para que o alcance, engatinhando;
  • Deixe-o brincar sozinho durante alguns momentos.

8 meses
  • Se esconder atrás de uma fralda para que o bebê tire-a para ver seu rosto;
  • Fazer caretas e sons para a criança imitar;
  • Bater palmas;
  • Brincar de pegar e soltar objetos;
  • Utilizar brinquedos para martelar, empilhar e desmontar;
  • Colocar o bebê em frente a um espelho e observar sua reação diante sua imagem;
  • Oferecer para a criança uma caixa com variedade de brinquedos. Não precisam ser, necessariamente, brinquedos. Alguns objetos têm a mesma utilidade: latas, caixas, potes de plástico, roupas, objetos que provocam ruídos diferentes, objetos de cores diferentes (vermelho, verde, amarelo, azul), objetos de vários materiais (leves, ásperos, duros, moles, peludos), etc.;
  • Dê ao bebê objetos que possa colocar uns dentro dos outros (não dê objetos que a criança possa engolir);
  • Faça alguns furos em uma caixa de sapatos. Feche a caixa. A criança poderá colocar vários objetos dentro da caixa através dos furos;
  • Leve a criança para passear por outros ambientes, como por exemplo, cozinha, pátio, etc., assim ela terá oportunidade de ver outras pessoas, coisas novas, ouvir ruídos diferentes, tomar ar fresco, sentir odores, etc.;
  • Cante para ela, acompanhando a canção com gestos que possa imitar, bater palmas, levantar as mãos, dar adeus, etc.
  • Faz bem à criança ficar nua ou com pouca roupa, de 3 a 5 minutos, para poder se movimentar, bater com as pernas, rolar em cima da cama, sentar, deitar, dar voltas por seus próprios meios, etc.;
  • Diga sempre o nome das partes do corpo que tocar: Quando tocar a mão, diga, “mão”, quando tocar o pé, diga “pé”, e assim por diante;
  • Coloque alguns objetos na água do banho para que a criança brinque com eles (potes de plástico, rolhas, tampas, esponjas, etc);
  • Ao alimentar o bebê dê pedaços de comida na mão da criança para que ela possa levá-los à boca; Ofereça-lhe a colher para que vá aprendendo a utilizá-la aceitando a sua maneira própria de fazer isto; Nomeie os alimentos e objetos durante o momento em que o bebê se alimenta, sempre estabelecendo uma comunicação afetiva com ele. Por exemplo: - O que o bebê vai comer? - Ah! O bebê vai comer o pão. - Vamos pegar a colher? - Olha que bonito, o bebê está comendo sozinho. Embora ele não possa repetir o que você diz, irá se familiarizando, desde  cedo com o nome das coisas;
  • Procure fazer com que o momento em que a criança se alimenta seja tranqüilo. Se você estiver nervosa ou apressada, ela perceberá, ficará nervosa e não comerá bem;
  • Ensine-o a fazer carinhos com as suas mãozinhas às pessoas e aos bonecos e pelúcias;
  • Dê-lhe ordens simples como: "dá-me a colher", "dá-me a bola", embora não faça o que lhe pede;
  • Coloque os seus brinquedos dentro de uma caixa para que possa retirá-los;
  • Ofereça-lhe um brinquedo que se possa encaixar dentro de outro, e uma caixa com vários orifícios para que tente introduzir neles algum objeto;
  • Ofereça-lhe objetos com que ele possa bater com uns nos outros, e elementos de diversos tamanhos e texturas (rolhas, esponjas, algodão, cubos, carrinhos), para que ele os manipule e comece a utilizar o polegar;
  • Coloque objetos fora do seu alcance para que tente agarrá-los;
  • Toque num tambor, pare, e espere que através dos seus gestos o bebê lhe peça que continue (assim como quando lhe faz cocegas ou canta);
  • Segure-o por debaixo dos braços e ajude-o a dar alguns passinhos;
  • Quando começar a gatinhar, ajude-o a coordenar o movimento dos braços e das pernas dobrando-lhes alternadamente uma e outra perna, ou simultaneamente as pernas e os braços opostos;
  • Sente-o sobre uma almofada e empurre-o suavemente para um lado e para outro para que tente manter o equilíbrio;



Grupo 5 : Bebezinhos de 9 a 11 meses

CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 9 MESES
  • O bebê de 9 meses está em constante atividade. Ele está cada vez mais craque no engatinhar e na prática de escalada de móveis e paredes;
  • Bate palminha sempre que cantam para ele;
  • Quando está envergonhado ou leva uma bronca pode fazer beiço, baixar os olhinhos, esconder o rosto e ficar com vergonha;
  •  Imita o tom de voz que ouve como também as expressões faciais dos adultos que falam com ela;
  • Nessa fase, elas aprendem gracinhas como piscar o olho e fazer “cheirinho”.


CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 10 MESES
  • Sua capacidade de raciocínio está bastante evidente. Se o bebê está brincando com uma bolinha e ela rola para trás de uma caixa, o bebê tentará empurrar a caixa para resgatar a bola;
  • Consegue imitar alguns sons que ouve: barulhos com o lábio, quando se estala a língua no céu da boca ou imitação do som dos bichos;
  • É capaz de compreender certas proibições. Se lhe disserem “não” quando ele cospe a sopa ou quando puxa o cabelo, ele entenderá que não pode fazer aquilo;
  • Sua expressão fisionômica consegue mostrar bem o que ele sente: ansiedade, aflição, alegria, medo;
  • A evolução motora é notada na sua capacidade de segurar objetos firmemente usando o polegar em oposição aos outros dedos, movimento conhecido como pinça;
  • Começa a sacudir a mão para dar tchau;
  • Consegue andar de lado segurando em uma mesa;
  • Engatinha de quatro esticado, com o bumbum para o alto, e depois tenta levantar sozinho.

CARACTERÍSTICAS DE UM BEBÊ DE 11 MESES
  • Engatinhando, já consegue até subir escadas;
  • Passa a maior parte do tempo em pé. Ela está ansiosa para andar e quer levantar quando está no cadeirão, na banheira, no meio do quarto;
  • Se segurarmos eles pelas mãos, conseguem dar alguns passinhos;
  • Alguns mais apressadinhos já dão os primeiros passinhos;
  • O bebê age intencionalmente, usando o raciocínio. Se seu brinquedo está escondido embaixo da coberta, ele levanta a coberta para pegá-lo;
  • Sua visão e percepção estão apuradas. Se passar uma borboleta ou passarinho por perto, ele olha o bichinho se movimentar. Quando vê um livro colorido, analisa com interesse as figuras, e olha atentamente para desenhos animados na televisão;
  •  Quanto ao desenvolvimento da fala, consegue falar cerca de 5 palavras. Sua pronuncia ainda é bastante enrolada e muitas vezes só a mamãe mesmo para conseguir decifrar. Um fato engraçado é que eles repetem a mesma palavra dezenas de vezes seguidas: dá, dá, dá, dá, dá. O pequeno já entende que o som que pronunciam tem um significado. Quando diz “mamã” sabem que está pedindo carinho, comida, colo da mãe;
  • Consegue segurar sozinho a mamadeira e suas brincadeiras são mais coerentes. Não pega apenas o brinquedo para bater com ele no chão. Agora, ele já sabe como usá-lo: empurra o carrinho para frente e para trás, gira a direção, empilha os cubos.

 OBJETIVOS GERAIS

1 - Engatinhar em padrão cruzado. 
2 - Sentar com equilíbrio perfeito de tronco e liberação de membros superiores. 
3 - Segurar objetos numa só mão. 
4 - Erguer-se com apoio na posição de pé. 
5 - Trocar de posições: sentado para engatinhar e de engatinhar para sentado. 
6 - Dar alguns passos com apoio bilateral.

  Atividades relativas aos:
   
Objetivo 1: Com apoio em 4 pontos(engatinhando), balançar a criança para frente, lentamente, usando brinquedos interessantes; estimular o engatinhar. Engatinhar na frente da criança, chamando-a pelo nome para perto de si.
Colocar uma toalha de banho, passando pelo abdomem da criança na posição de engatinhar, segurar a toalha nas pontas e estimular o engatinhado. Gradativamente deixar a criança manter o peso do corpo nas mãos e nos joelhos e não na toalha.

Objetivo 2: Colocar a criança sentada; segurá-la no quadril (por trás) e balançá-la para frente, para direita, para esquerda, deixando os membros superiores livres, estimulando assim as reações de equilíbrio de tronco.

Objetivo 3: Dar a criança objetos pequenos que possam ser levados à boca sem perigo. Estimular a criança a segurar dois objetos numa só mão, oferecer-lhe um terceiro objeto.

Objetivo 4 e 6: Colocar a criança de pé, mantendo os joelhos em extensão (apoiados), abaixar e levantar o tronco, com apoio ora na mão direita, ora na mão esquerda.
Usar caixas de papelão ou madeira, cheias de brinquedos, estimular a criança a erguer-se, com apoio na caixa, para alcançar os brinquedos. 
Dar apoio nas duas mãos da criança estimulá-la para alcançar os  brinquedos. 
Dar apoio nas duas mãos da criança, estimulando-a a dar pequenos passos.
Objetivo 5: Estimular a criança a trocar de posição no espaço: estando sentada chamá-la para perto de você. Usar brinquedos atraentes, quando se aproximar engatinhando, estimulando-a a sentar-se para brincar. 

ATIVIDADES ESPECÍFICAS

9 meses

  • Para que a criança desenvolva bem sua inteligência, converse e explique para ela tudo o que vai fazer, seja no banho, na refeição, na troca de roupa. Diga: “abre a boca”, “vamos lavar a perninha”, “a fralda está suja”, “vamos colocar a roupa vermelha”. E lembre-se de pronunciar as palavras corretamente;
  • Utilizar livros de cores fortes, diferentes texturas, figuras alegres, sons;
  • Para fortalecer a musculatura, ajude o bebê a se manter em pé. Esse estímulo vai ser importante para a fase de andar. Mas lembre-se que cada criança tem um ritmo diferente e pode levar mais ou menos tempo para passar de uma etapa para outra;
  • Ensine a criança a usar corretamente seus brinquedos, mostrando como fazer, guiando suas mãozinhas, ajudando e aplaudindo quando ela acerta;
  • A criança deve ir se acostumando a fazer certas atividades sozinha como, por exemplo, segurar o próprio copo, inicialmente com sua ajuda. Primeiramente dê-lhe um copo, ou caneca vazia, para que possa explorá-los e brincar, a fim de se familiarizar com o objeto;
  • Após esta etapa, coloque um pouco de líquido na caneca e vá fazendo com que beba devagar. No início ela poderá tossir, morder as bordas da caneca e derramar líquido pelos lados da boca. Com a prática (alguns goles em cada refeição), ela aprenderá a coordenar os movimentos da boca com o ato de engolir. Mostre-lhe sempre que você está contente com os esforços que faz para beber na caneca;
  • Dê à criança um pedaço de pão ou de banana para que coma sozinha;
  • Durante o banho, deixe que a água goteje sobre todo o  corpo do bebê; Deixe-o brincar na água, fazendo movimentos com as perninhas e os bracinhos, para que sinta o efeito de seus movimentos;
  • Dê à criança argolas de diversos tamanhos para que possa enfiar em um pino de madeira ou plástico;
  • Dê à criança bolsas, caixas, carteiras, que abram de forma diferente (amarradas, com botão, com pressão). Coloque dentro algum objeto que goste e estimule-a para que abra sozinha;
  • Amarre um barbante numa colher, ou outro objeto, e deixe-o de maneira que a criança não consiga agarrá-lo com a mão. Dê-lhe o barbante para que puxe e alcance o objeto. Repita várias vezes;
  • Coloque um objeto na parte mais distante de uma fralda e estimule a criança para que puxe a fralda para alcançar o objeto;
  • É importante que a criança tenha um espaço seguro, onde possa movimentar-se, engatinhar, etc.;
  • Estimule o bebê a ficar de pé, firmando-se em alguém ou em alguma coisa. Segure-o para que dê passinhos;
  • Pegue-o ao colo, passeie-o e converse acerca das coisas que vê;
  • Faça diferentes expressões faciais para que tente imitá-las;
  • Brinque a dar beijos e carícias a pessoas e brinquedos;
  • Faça-o escutar diversos sons e músicas;
  • Durante os passeios, deixe-o tocar nas árvores, nas folhas e nas flores;
  • Invente juntamente com o bebê alguns jogos simples, para que ele sinta que compartilham uma atividade (brinquem no chão ou na grama);
  • Apresente-lhe objetos que se abram de diferentes maneiras, para que ele as tente abrir;
  • Coloque um brinquedo sobre um pano ou mantinha a certa distância para que o bebê tente aproximá-las puxando pelo tecido. Faça o mesmo com um objeto atado a um fio;
  • Dê-lhe pedaços de massa, esponjas molhadas, etc. para que os aperte;
  • Ofereça-lhe um brinquedo para enfiar num cordão. Dê-lhe brinquedos no momento do banho;
  • Sente o bebê num colchão, agarre-o pelos pés e devagar empurre-o para trás até fazê-lo cair de costas. Ele tentará permanecer sentado, e ao não consegui-lo, divertir-se-á muito.
  • Também com o bebé sentado, proponha-lhe que imite os seus gestos (aplaudir, levantar as mãos, etc.);
  • Dê-lhe explicações simples; Diga-lhe explicitamente "não" diante situações de perigo

10 meses
  • Brincar ao ar livre;
  • Oferecer objetos diferentes para serem manuseados, com texturas, formas, pesos e tamanhos diversos;
  • Oferecer brinquedos de encaixe;
  • Contar histórias curtas e mostrar figuras de livros infantis;
  • Lembre-se que a hora de trocar as fraldas é o momento mais adequado para fazer um pouco de ginástica. Deixe que fique nu por alguns minutos. Deixe-o brincar livremente com seu corpo, pedalar, chupar, virar, segurar os pés, tocar os genitais, bater na barriga, olhar as mãos, sentar, engatinhar. É muito importante que a criança conheça seu corpo, sinta-o, toque-o, veja-o;
  • Lembre-se também que é bom que aprenda como se chamam as partes de seu corpo; na hora do banho, siga as orientações dos meses anteriores;
  • Mostre a mamadeira e espere que a criança estique os braços para alcançá-la;
  • Estenda a mão e peça à criança que lhe entregue alguma coisa que esteja segurando, ex.: “Me dá a mamadeira”, “me dá a colher”, “muito bem”, etc.;
  • Dê a caneca com pequena quantidade de líquido para que beba, lembre-se das orientações do mês anterior;
  • Favoreça e aplauda todas as tentativas da criança de ficar em pé e andar. Ajude-a, segurando suas mãos ou debaixo de seus braços ou deixe que se apoie nos móveis;
  • Deixe que engatinhe e vá de um lado a outro. Se ainda não faz isto sozinha, coloque-a de bruços no chão com algum brinquedo diante dela, para estimulá-la a movimentar-se e alcançá-lo. Quando isto acontecer, elogie a criança, demonstrando satisfação;
  • Esconda, diante da criança, um objeto dentro de uma caixa ou de uma lata, estimule a criança a procurá-lo;
  • Coloque um objeto sobre a mesa ou cadeira e derrube-o “acidentalmente”. Exclame: - “Opa!, caiu!”, com expressão facial rica, repita algumas vezes, verificando se a criança tenta imitá-la;
  • Faça movimentos que a criança já saiba fazer para que ela imite, por exemplo: franzir o nariz, levantar os braços, bater palminhas, mostrar a língua, etc.;
  • Coloque música para que a criança ouça;
  • Brinque com as suas mãos e dedinhos e faça-lhe cócegas nas palmas;
  • Mostre-lhe e dê os nomes a outras partes do corpo (cabelo, olhos, unhas, bochechas, etc.);
  • Repita-lhe novas sílabas, faça-lhe gestos novos com as mãos tentando que os imite (fechar e abrir os olhos e a boca, encher as bochechas de ar, etc.);
  • Sente-o numa cadeira para comer ou fazer outras atividades;
  • Leve-o a andar com as duas mãozinhas apoiadas pelas suas mãos;
  • Ponha-o em pé sem apoio durante alguns minutos, e incite-o a dar um passo;
  • Ponha-o de barriga para baixo com as mãos apoiadas no chão e incite-o a engatinhar;
  • Coloque no chão objetos de variado tamanho para que escondam ou o impeçam de alcançar o objeto em que está interessado. (uma mantinha enrolada, uma caixa de papelão, um almofadão, etc.);
  • Faça movimentos afirmativos de cabeça e dizer "sim", e negativos dizendo "não";
  • Ensine-o a respeitar as proibições explicando o porquê (tomadas, cozinha, fogão, vídeo, etc.).

11 meses
    
  • Os brinquedos coloridos e leves, de várias texturas, estimulam os sentidos da visão, da audição e do tato. Deixe a criança experimentar bonecas de tecido e bichos de pelúcia feitos de materiais atóxicos, que são gostosos de tocar e abraçar;
  • Utilizar livros com ilustrações de objetos familiares como cachorrinhos, bolas, colheres;
  • Quando a criança engatinha ou anda, os brinquedos mais estimulantes e divertidos são os de empurrar e puxar, como um pequeno caminhão, e os brinquedos com peças grandes de montar e desmontar;
  • Brinque com a criança de colocar e tirar objetos de uma caixa e veja como ele participa e se diverte;
  • Esse é o momento de estimular a fala. Toque cantigas de roda e cante para ela;
  • Enquanto você leva o bebê para trocar a fralda, anuncie com voz alegre: “Está na hora de trocar a fralda do bebê”. Ao combinar uma nova palavra com a ação, quando for pronunciada sem ser apresentada, terá um significado para ele;
  • Procure a cooperação da criança na hora de vesti-la. Fale com ela enquanto o faz: “levante as pernas”, “sente”, “ponha a mão aqui”, “levante os pés”, etc.
  • A criança deve começar a comer sozinha com a colher. Deixe que vá aprendendo, aproveitando quando lhe der alimentos mais pastosos, purê ou mingau, por exemplo.
  • Peça à criança que lhe dê os objetos que está usando: “me dá a colher”, “me dá o copo”, “me dá a xícara”. Quando lhe der a ordem, mostre o que quer que ela faça;
  • Lembre-se de nomear os alimentos que você lhe serve, procure fazer isto em cada refeição, assim logo ela aprenderá os nomes dos alimentos;
  • Repita as atividades descritas no 9º e 10º meses;
  • Dê-lhe uma bola média para brincar;
  • Embrulhe alguns objetos em papel para que ela os desembrulhe;
  • Faça com que a criança acompanhe o ritmo de uma música do rádio ou que você esteja cantando, batendo palmas ou improvise um tambor com uma colher de pau e uma lata ou panela;
  • Não deixe o bebê muito tempo na cama, no cercado ou no carrinho, pois ele precisa exercitar-se para andar;
  • Faça todo o possível para que a criança dê um passeio no ambiente externo, para que possa sentir o vento, ver as árvores, os passarinhos, etc.;
  • Dê ao bebê folhas de papéis variadas para que ele possa explorar. Evite usar jornal ou papel de seda colorido, pois tendem a soltar tinta. Ele irá examinar os papéis, agitando-os, dando tapinhas e amassando-os, deliciando-se com o ruído produzido e com a sensação que os mesmos oferecem. Vigie para que ele não engula pedaços de papel;
  • Cante com ele repetidas vezes, incluindo, quando possível, o nome dele na letra das canções infantis de que ele mais gosta. Os bebês gostam de ouvir rimas e palavras simples e procurarão acompanhar juntos a canção;
  • O bebê de um ano se envolve numa intensa atividade que combina com seu crescimento físico: ficar em pé, andar, arrastar, rolar, etc. Ele tem uma enorme energia e disposição que muitas vezes resultam em resistência a ir para a cama. Pegue-o no colo por alguns minutos e cante uma música calma, aconchegando-o. Lembre-se que não se deve excitar muito a criança nas horas que antecedem ao seu sono;
  • Faça ginástica com ele;
  • Deixe-o pintar folhas grandes com pintura a dedo.(tintas comestíveis)
  • Use sua imaginação, criação de brinquedos e jogos, caixas....(temos sugestões desse material)


Queridas professoras, esperamos que vocês tenham gostado deste material/sugestões , que possam lhes ajudar no seu trabalho com suas/nossas crianças.
Postar um comentário